BEFW – FAVORITAS PARTE II

A escolha da minha outra marca favorita no BEFW (Brasil Eco Fashion Week) vem na mesma linha de pensamento do meu post anterior…

Por isso, desculpem a duplicação, mas merece a mesma nota introdutória:

“Um dos desafios da sustentabilidade foi (e será ainda) criar moda com design que não nos remetesse automaticamente para a mãe terra e convivência profunda com a Natureza!

Claro que numa primeira instância pensar verde, sustentabilidade e roupas eco, nos levam a pensar em tudo o que é natural, formas amplas, tecidos crus, shapes pouco trabalhadas… de uma forma “naturalmente natural” algo que pareça respeitar o corpo em comunhão com o Planeta Azul! Mas em pleno século XXI também faz parte da natureza humana, e dos seus desejos mais naturalmente intrínsecos, dar um abanão e querer apimentar… usar as roupas como um manifesto de existência humana e personalidade! Isso inclui glamour, isso inclui design, criatividade, e desafios às leis das regras do politicamente correto. Em tempos de ode à diversidade humana, de gostos, costumes e culturas, dar resposta e respeito a todos os estilos e e desejos, tornou-se fulcral que a roupa green não fosse tão Green, e se confundisse com qualquer outro vestuário criado em laboratório de ideias, em construção de tendências, em sonhos e partilhas. Uma conversa com o mundo naturalmente humano. O assunto “green and no hippie” já não é novidade. E algumas marcas já se manifestam com glamour e mestria com alternativas. Assentando aos poucos as melhores pedras para construir o caminho mais sustentável possível. Das marcas internacionais que pisam as Runway mais famosas do mundo, às mais pequenas etiquetas que se reinventam a cada temporada entre esforços e empenhos, já há boas marcas que o fazem. E muito bem!

Que se salve aqui uma nota importante: não estou a desmerecer as peças de algodão que tanto gosto de usar diariamente, os linhos de tingimento natural que eu pessoalmente adoro. Mas todos os públicos têm que ser atendidos. Eu mesma que sou apenas uma, sou público para diferentes tipos de vestimentas. E talvez por isso fique feliz por ver marcas crescerem com conceitos de sustentabilidade que atendam outras necessidades. Porque a moda sustentável tem mesmo que ser para todos!

Foi nesta linha que elegi duas marcas como minhas favoritas, que guardam na sua etiqueta o seu segredo eco. E nos brindam com design, glamour e desejo q.b para encarar a vida nas nossas mil vidas urbanas do mundo atual!”

Neste post vou falar de Eneas Neto…

Eneas Neto é “simplesmente” um designer de muito talento! Já participou do SPFW em Março de 2017, e no Project Runway da América Latina (Buenos Aires, 2013) tendo chegado aos finalistas. Mas na verdade só soube isso depois… (shame on me!). depois de ter conhecido o seu trabalho no BEFW, e as suas propostas me terem chamado à atenção (criado desejo e amor, quero eu dizer em linguagem casualmente direta e franca).

O que eu quero dizer com “simplesmente”, é que Eneas Neto torna a questão da sustentabilidade uma não questão, e isso faz-me viajar para o futuro! Um futuro em que os criativos são criativos, os designers são designers, e a sustentabilidade já não se discute. Porque ela simplesmente faz parte do processo de fazer roupas. Está intrínseco e é natural. Quem vê as roupas de Eneas Neto vê moda, roupas, desejo e design. Não vê a seda de fios reciclados, desenvolvida em teares manuais, que compõem as roupas mais rústicas, as peças em seda de estampas vegetais do casulo feliz, que aproveita os casulos que seriam descartados pela indústria têxtil… Não vê que as peças em crochê são feitas com as aparas de tear de seda, que os tingimentos são naturais, e a modelagem tende ao zero waste! Vê “simplesmente” as roupas que quer usar e ter no seu guarda roupa!

Isso faz-me pensar no futuro! Em que Eneas Neto é “simplesmente” um designer de muito talento. E não um designer “de moda sustentável”, de muito talento.

Adorei a estrutura das roupas, o vestido maravilhoso de eco print (tingido naturalmente com as folhas sobre o tecido que resultam na estampa), a saia calça que ganhou o meu nome . As texturas! As formas e as construções! O rústico que se mistura com a delicadeza.



É possível falar da etiqueta sem falar de sustentabilidade! E isso, é maravilhosamente refrescante!

Acompanhem: @eneasnetooficial

nota: todas as fotos são do seu desfile no Brasil Eco Fashion desse ano, créditos Agência Fotosite

ENJOY!

What's your reaction?

Deixe seu comentário